Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Procure


Projeto Manhattan
      O Projeto Manhattan é o codinome para o projeto secreto do governo dos EUA que foi estabelecido antes da Segunda Guerra Mundial e culminado no desenvolvimento da bomba nuclear sob comando do Gal Leslie Groves e do físico J. Robert Oppenheimer. A idéia de formar uma equipe de pesquisa para criar uma arma nuclear foi endossado numa carta que Einstein enviou a Franklin Roosevelt, o presidente dos EUA em 1939 . Em 1942 Enrico Fermi, físico, com êxito controlou uma reação nuclear no reator chamado CP-1 localizado na Universidade de Chicago.
     Mais tarde, a primeira bomba atômica foi detonada em Los Alamos. Isto era no dia 16 de julho de 1945. O diretor de Los Alamos disse ao testemunhar a primeira prova de uma arma nuclear:
   
     "Soubemos que o mundo não seria o mesmo. Algumas pessoas riram, algumas pessoas choraram, a maioria das pessoas estavam silenciosas. Lembrei-me da linha da escritura Hindu, o Bhagavad-Gita. O Vishnu tenta convencer o Príncipe que ele deve fazer seu dever e o impressiona tomando outra forma e diz,  "Agora,  tornei-me  Morte,  destruidor de mundos.". "
J. Robert Oppenheimer
    
     Um mês depois que a primeira bomba foi testada, duas armas nucleares foram explodidas sobre o Japão, em Hiroshima e Nagasaki. Há muitas razões para isto. A razão oficial é que imediatamente acabaria a guerra, assim poupando o vida de milhares de militares americanos. O número de mortes das bombas são calculados em aproximadamente 100.000. Este número surpreende. Entretanto, é comparável ao número calculado de mortes que teria resultado em uma invasão aliada às ilhas japonesas. Entretanto, a escolha de derrubar as bombas no Japão é muito discutível e há muitos pessoas que acharam desnecessário, e que Japão teria se rendido de qualquer jeito.
     Indubitavelmente, a bomba atômica é a força destrutiva mais poderosa que a humanidade manejou. Muitos cientistas, entretanto, defendem sua participação:
  
     "Em Los Alamos durante a Segunda Guerra Mundial não havia moral em trabalhar na bomba atômica. Todo  mundo concordou na necessidade de parar Hitler e os japoneses de destruírem o mundo livre. Não era uma pergunta acadêmica ‚ nossos amigos e parentes estavam mortos e nós, estávamos desesperadamente amedrontados."
Joseph O. Hirschfelder, Químico